Institucional

História

Desde sua associação ao Itaú em 2002, o Itaú BBA desenvolve ações de apoio a uma educação pública de qualidade. A vocação da instituição para atuação neste campo tem origem no inconformismo de Fernão Bracher, fundador do BBA, com as desigualdades educacionais.  

Bracher defendeu com empenho duas grandes causas:

  • Oferecer melhores condições de trabalho aos professores;
  • Formar jovens por meio de um Ensino Médio articulado ao técnico de alta qualidade.   

  

Em 2005, o Itaú BBA destinou uma parte dos seus recursos para apoiar ações na área de educação, com foco no Ensino Médio. Naquela ocasião, Fernão Bracher assumiu integralmente a condução dos projetos, dando ainda mais ênfase ao campo da educação e trabalho.

Com esse foco, o Itaú BBA passou a atuar junto às organizações de educação para contribuir com o debate sobre a necessidade de mudar a estrutura do Ensino Médio e flexibilizar essa etapa da educação. Em 2009 participou ativamente na discussão de um novo modelo para o Ensino Médio junto aos Estados, Governo Federal, Congresso e sociedade civil.

Em 2013 apoiou a elaboração do Projeto de Lei nº 6.840/13 da Comissão Especial destinada a promover estudos e proposições para a reformulação do Ensino Médio. No ano seguinte participou nas Conferências sobre o Plano Nacional de Educação (PNE) e na articulação com Câmara dos Deputados, Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) e Ministério da Educação pela Reforma do Ensino Médio. 

No ano de 2015, o Itaú BBA patrocinou o II Seminário do Ensino Médio do Consed, em Manaus, que mobilizou, além dos secretários estaduais e especialistas em educação, os coordenadores de Ensino Médio de todas as regiões do País. O encontro teve como objetivo discutir o Projeto de Lei nº 6840/13, em pauta no Congresso, sugerir alterações e fundamentar uma proposta do Consed na reformulação do Ensino Médio com vistas a aproximar a escola da realidade dos estudantes.    

Nos dois anos seguintes, o Itaú BBA participou ativamente dos debates da Reforma do Ensino Médio, para apoiar a flexibilização curricular e a inserção da formação técnica e profissional como uma das trajetórias possíveis para os jovens. Em 2017, a Lei do Novo Ensino Médio (13.415) foi sancionada.

Desde então, o Itaú BBA em parceria com o Consed e instituições da sociedade civil realiza apoio técnico para as redes estaduais elaborarem seus planos de implementação do Novo Ensino Médio.

Em 2019, em um novo arranjo institucional, mais adequado às necessidades do País, a Fundação Itaú para Educação e Cultura englobou as atuações do Itaú Social e do Itaú Cultural e de Educação e Trabalho, apoiadas até então pelo Itaú BBA.  

Em 2020, o Itaú Educação e Trabalho se consolidou com a criação de uma superintendência, três gerências e uma equipe de 13 colaboradores.

Conheça as principais atividades realizadas ao longo da nossa trajetória e alguns marcos para Educação Profissional e Tecnológica (EPT):

Termos de uso e política de privacidade