iniciativas

Apoio técnico aos Estados

Articulação Curricular e Projetos Empreendedores

Essa iniciativa tem como objetivo oferecer formação aos profissionais das Secretarias de Educação e aos educadores das redes de ensino para a elaboração de currículos que serão implementados no itinerário técnico-profissional do Ensino Médio, conectados às normativas e diretrizes nacionais de Educação Profissional e Tecnológica (EPT).

O projeto nasceu de uma demanda da Secretaria de Educação da Paraíba, em 2016, para reorganizar o currículo de dois cursos de uma escola-piloto situada no município de Bayeux. Na ocasião, foi elaborada, coletivamente, uma metodologia pautada no desenvolvimento de competências e habilidades para articular o currículo de formação geral básica com o currículo dos cursos técnicos.  

A iniciativa segue os princípios das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional e Técnica de Nível Médio e, atualmente, está sendo implementada em oito Estados.  

O objetivo é desenvolver competências que introduzem os estudantes no mundo do trabalho, assegurando os princípios da interdisciplinaridade e da contextualização dos conteúdos, a partir de vivências de situações práticas na escola, na comunidade e em atividades empreendedoras, promovendo o protagonismo profissional e social dos estudantes.

Educação de Jovens e Adultos e a Educação Profissional e Tecnológica (EJATEC)

Há um contingente de jovens e adultos que deixa a escola precocemente e retorna, num segundo momento, para a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Muitos dos estudantes dessa modalidade carregam memórias de exclusão e discriminação vividas em experiências escolares. São pessoas que já estão ou que pretendem se reinserir no mundo do trabalho e para quem o trabalho é o eixo central na organização do tempo.

Nesse sentido, a oferta da Educação Profissional para os alunos da EJA vem atender uma demanda do trabalho tanto como prioridade como princípio educativo, e, os estudos como possibilidade de melhoria das condições de vida social, cultural e econômica.

A Meta 10 do Plano Nacional de Educação (PNE), prevê, no mínimo, 25% de matrículas de EJA integradas à Educação Profissional, o que já mostra a natureza e vocação da EJA para promover a inserção e participação ativa de seus estudantes no mundo do trabalho.

Com vistas ao fortalecimento de políticas que integrem a Educação de Jovens e Adultos com a Educação Profissional, o Itaú Educação e Trabalho desenvolveu, junto às Secretarias, uma metodologia para a construção de currículos que articulam as formações básica e profissional com foco nesses estudantes que retornam ao sistema de ensino buscando oportunidades de crescimento e protagonismo pessoal e profissional.

Atualmente, apoiamos as Secretarias de Educação de Sergipe, do Maranhão, e de São Paulo para o desenvolvimento da proposta pedagógica da EJATEC, que envolve tanto articulação com cursos técnicos de nível médio como articulação com conjunto de FICs.

Itinerário Contínuo

Além de ser uma porta de entrada para o mercado de trabalho, a Educação Profissional Técnica de Nível Médio deveria favorecer o ingresso no Curso Superior para que o estudante possa dar continuidade à sua formação. No entanto, hoje, infelizmente, os aprendizados e as competências adquiridas nos Cursos Técnicos nem sempre são reconhecidos pelas universidades.

Por isso, a proposta do Itinerário Contínuo tem como base uma visão de desenvolvimento profissional do jovem, permitindo que os estudantes possam aproveitar os conhecimentos e competências já desenvolvidos de forma a dar maior significado ao seu percurso de aprendizagem.

O projeto propõe uma metodologia para formular e implementar cursos de formação técnico-profissional de nível médio que tenham continuidade efetiva no Ensino Superior, reconhecendo as competências já adquiridas pelo estudante, garantindo uma transição sem sobreposições.

Há três projetos-piloto em implementação. Um deles é na Bahia e prevê a construção do currículo pautado no desenvolvimento de competências para o curso técnico de nível médio de agroindústria, com foco em cacau e chocolate; e apoio para construção da matriz curricular do curso de tecnólogo. Esse projeto conta com a parceria da Secretaria de Educação Estadual e da Universidade Federal da Bahia. 

Em São Paulo, o projeto prevê o desenvolvimento de oito trilhas profissionais na área de tecnologia, a criação do sistema de validação de créditos e o desenvolvimento de uma plataforma que orienta a trajetória dos jovens. Trata-se de uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e o Centro Paula Souza.  

Há um terceiro projeto sendo iniciado na Paraíba em parceria com a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e a Secretaria de Educação da Paraíba.

Aprendizagem Profissional

A Lei da Aprendizagem determina que empresas de médio e grande porte destinem de 5% a 15% do seu quadro de colaboradores para a contratação de aprendizes. O programa é voltado para alunos de 14 a 24 anos que estejam cursando o Ensino Fundamental ou o Ensino Médio e tem como objetivo contribuir para a formação profissional desses jovens.

Para se beneficiar deste estímulo, o aluno também deve frequentar um Curso Técnico Profissional relacionado à função a ser desempenhada no trabalho em uma entidade qualificadora, que é conveniada à empresa empregadora.  

Para apoiar Secretarias Estaduais de Educação no melhor aproveitamento das oportunidades oferecidas pela Lei da Aprendizagem, desenvolvemos uma metodologia para que as escolas das redes públicas possam se tornar entidades qualificadoras e ofertar a carga horária teórica exigida pela Lei da Aprendizagem, em diálogo com o setor produtivo.  

Atualmente, apoiamos a Secretaria de Educação da Bahia para implementação de um piloto com o Itinerário de Formação em escolas públicas de nove municípios; e a Secretaria do Ceará, onde o projeto é desenvolvido em parceria com a Rede Aliança e a empresa contratante é o Banco Itaú.

Desenho da Política do Ensino Médio e da Educação Profissional e Tecnológica (EPT)

O projeto tem como objetivo apoiar as Secretarias Estaduais de Educação no desenvolvimento da arquitetura e planos de implementação para o Novo Ensino Médio, bem como colaborar na estruturação de um plano de desenvolvimento para a Educação Profissional e Tecnológica (EPT).

O primeiro passo é a realização de um diagnóstico para avaliar o cenário atual da educação técnica no Estado e quais são os objetivos almejados pela Secretaria de Educação a serem atingidos com a implementação de um futuro projeto.

A partir desse mapeamento e dos direcionamentos é realizado um planejamento com desenho de possíveis cenários para os projetos e possibilidades de expansão da Educação Profissional e Tecnológica nos Estados.

Termos de uso e política de privacidade