Notícias

05 de ABRIL DE 2021

Programa Nosso Ensino Médio transmite live sobre suas premissas formativas, arquitetura curricular e metodologias ativas

Iniciativa tem como objetivo auxiliar escolas, redes de ensino e seus formadores na implementação de novos currículos

No dia 30/03, foi ao ar a segunda live do Nosso Ensino Médio, programa gratuito de formação para educadores desenvolvido pelo Itaú Educação e Trabalho, em parceria com o Instituto Iungo e o Instituto Reúna. A transmissão teve como objetivo apresentar o processo de formação da iniciativa e como se deu a estruturação de seus fundamentos, metodologias e temas-chave.

O evento contou com a participação de Anna Penido, especialista em educação; Lilian Bacich, cofundadora da Tríade Educacional, e Cacau Lopes da Silva, gerente de implementação do Itaú Educação e Trabalho.

Anna Penido destaca que a escola deve se atentar às demandas de alunos para oferecer uma formação integral, necessária para os desafios contemporâneos. "Há tempos fazemos escolas para os educadores. Agora, precisamos prestar atenção nas novas gerações e pensar em uma escola que faça sentido para eles, inserindo-os no centro de todas as decisões e planejamentos. O protagonismo juvenil é muito importante. Assim, é preciso fazer uma escola com eles. Dar voz e oportunidade de escolha, para que sejam autores de seu próprio processo de aprendizagem e para que se desenvolvam integralmente. Então, além da formação intelectual, também precisamos proporcionar o desenvolvimento físico, cultural, social e emocional para lidar com os desafios do dia a dia.", diz.

Penido ainda ressalta as principais mudanças do Novo Ensino Médio, que amplia a centralidade no estudante. "O planejamento de vida é uma questão essencial. Agora, devemos ajudar ainda mais os jovens a encontrarem sentido na escola e vida pessoal, profissional e cidadã do presente e do futuro. A interdisciplinaridade e as metodologias ativas também permeiam o Novo Ensino Médio, articulando melhor todos os componentes curriculares. Outro ponto fundamental é a flexibilização curricular, em que além de aprofundar conhecimentos nas áreas obrigatórias, os estudantes também poderão optar por um itinerário formativo de formação técnica e profissional, decorrente dos anseios dos jovens que já querem uma formação que dialogue com o mundo do trabalho.", afirma.  

Segundo Lilian Bach, quando falamos em metodologias ativas, estamos olhando para uma forma de conduzir a aprendizagem de modo a incentivar o protagonismo do estudante. "A partir das novas metodologias, oferecemos muitos desafios interessantes para cada uma das aulas programadas aos jovens, que estimulam a atuação autônoma. Nosso programa de formação leva isso muito a sério. Queremos mostrar aos educadores o que podemos incluir e modificar para desenhar experiências que deem conta de conduzir os alunos pelo Ensino Médio de forma significativa.", explica.

Já para Cacau Silva, as redes têm um grande desafio, mas uma excelente oportunidade de criar uma escola que dialoga com os anseios dos jovens e oportuniza um trabalho bastante integrado entre professores. "A reforma do Ensino Médio trouxe inovações importantíssimas alterando a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, como a inclusão da formação técnica e profissional como trajetória do aluno. A modificação propõe o trabalho conjunto de educadores da área técnica com os de outras áreas do conhecimento, sempre com foco no estudante. A ação gestora pode dar grande ênfase no apoio desta conexão, colaborando para a criação de planejamentos e ampliando o olhar para oportunidades de melhorias. As trocas são fundamentais para evitar sobreposições ou lacunas curriculares. Nossa formação também auxilia muito na condução deste processo!", conclui.

Se você se interessou pelo tema, acesse a live na íntegra em Nosso Ensino Médio.

E não deixe de conferir a próxima live do programa, intitulada "Uma formação feita por e para educadores: oportunidades e desafios para implementar os novos currículos de Ensino Médio". A transmissão acontece no dia 06/04, às 19h, no canal de YouTube do projeto.

Termos de uso e política de privacidade