Notícias

05 de ABRIL DE 2021

Podcast Trabalho e Juventudes

Segundo episódio aborda como a educação profissional pode colaborar com a geração de oportunidades para as juventudes

Cursos técnicos e o setor produtivo é o tema do segundo episódio do podcast Educação e Juventudes, uma iniciativa do Itaú Educação e Trabalho, com produção da Kerovi Podcasts. Neste episódio, empresários e educadores conversam sobre como a Educação Profissional e Tecnológica pode colaborar com o desenvolvimento territorial e a geração de oportunidades para as juventudes.

Historicamente, há uma desconexão entre empresas e escolas. Ainda que a preparação de jovens para o mundo do trabalho seja um dos objetivos da educação básica no Brasil, muitas empresas não enxergam a escola pública como parte da solução para a qualificação das pessoas.

Embora haja uma legislação, como a Lei da Aprendizagem, que obriga organizações médias e grandes a terem uma porcentagem de jovens aprendizes em seus quadros, a prática mostra que o marco legal está longe de cumprir com seu objetivo de integrar o setor produtivo às redes de ensino. Agora, há mais temor por conta de possíveis multas e penalizações, do que comprometimento com a formação profissional dos jovens, o que pode afetar o desenvolvimento das instituições e impactar negativamente na formação integral dos aprendizes.

Por outro lado, há algumas iniciativas que têm promovido de forma efetiva a integração entre a educação e o setor produtivo pela perspectiva do quinto itinerário. Trata-se de um processo viável que, com a colaboração entre as partes envolvidas, apresenta resultados rápidos e efetivos.

Unindo as duas pontas, o que se espera é a formação integral do estudante. Para Neca Setubal, presidente do GIFE (Grupo de Institutos Fundações e Empresas), essa aproximação tem acontecido com cada vez mais frequência. "As empresas estão buscando esta articulação, que não é simples e exige o empenho para manter diálogos ativos e fortalecer vínculos de modo efetivo".

O economista Rafael Camelo, diretor de avaliação da consultoria Plano CDE, reforça qual é a principal contribuição que pode partir do setor produtivo. "Em primeiro lugar, as empresas podem trazer conteúdo para quem organiza o sistema escolar público. Demonstrar quais as competências úteis para desempenhar bem no mercado de trabalho."

O fortalecimento da EPT não serve apenas para sanar desafios pontuais de empresas e não oferece apenas uma oportunidade de trabalho para um jovem, mas tem como objetivo final estimular o desenvolvimento do setor produtivo de forma ampla e a formação integral dos estudantes que precisam estar bem posicionados em um mundo em transformação.

Saiba mais sobre o assunto no segundo episódio do Podcast.

Termos de uso e política de privacidade