Notícias

18 de março DE 2021

'É preciso repensar novas perspectivas para a formação profissional dos jovens', diz especialista

Em live realizada pelo Estadão, convidados falaram sobre a inserção da juventude no mercado de trabalho e mostraram propostas que ressignificam esse processo

A preocupação com o cenário de desemprego entre os jovens brasileiros e a necessidade de uma formação profissional que propicie a eles a inserção qualificada no mundo do trabalho foram alguns dos temas debatidos na live Educação Profissional e o Futuro da Juventude, produzida pelo Media Lab Estadão em parceria com o Itaú Educação e Trabalho. Com mediação da jornalista do Estadão, Renata Cafardo, participaram como convidados Ana Inoue, superintendente do Itaú Educação e Trabalho, e Rômulo Vieira, gerente-geral corporativo da Votorantim Energia.

A temática já era uma urgência latente em anos passados e passou a exigir ainda mais celeridade com a ampliação do fosso entre escola e trabalho, agravado durante a pandemia. Na última semana, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados mostrando que a taxa média de desemprego em 2020 entre pessoas de 18 a 24 anos chegou a 29,8% - a maior já registrada na série histórica.

Para Ana Inoue, esses dados mostram o quão necessário é repensar novas perspectivas de formação ao final do ensino médio. “Um país do tamanho do Brasil só atende cerca de 20% dos jovens em seu principal itinerário formativo profissional, que é a universidade. Temos que batalhar mais vagas no ensino superior, mas, enquanto isso, o que vamos propor para os outros 80%? [...] A educação profissional abre a conversa para o desenvolvimento do jovem, com possibilidade de continuidade na formação.”

Algumas propostas nacionais já vêm colocando em prática a ideia de uma educação profissional mais conectada às demandas da juventude e de suas comunidades, bem como aderente às necessidades dos segmentos empregadores. Um exemplo apresentado durante a live é o projeto realizado em Araripina, município localizado no sertão de Pernambuco, pelo Itaú Educação e Trabalho em parceria com a empresa Votorantim Energia e a secretaria de educação estadual.

De acordo com Rômulo Vieira, da Votorantim Energia, a iniciativa surgiu a partir de um mapeamento da empresa que identificou na região mais de 1.800 projetos ligados ao setor de energia renovável, revelando a necessidade de impulsionar cursos de formação nessa área para a população da região. “A educação técnica é uma base fundamental para a gente permitir a inclusão desse jovem no mercado de trabalho e sustentar o desenvolvimento local”, destacou em sua fala.

Acesse a íntegra da matéria

Termos de uso e política de privacidade