Notícias

25 de ABRIL DE 2021

Itaú Educação e Trabalho é destaque na revista Problemas Brasileiros

Ana Inoue fala com exclusividade sobre os desafios da Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil

Em conversa com a Problemas Brasileiros, revista que há mais de cinco décadas discute em suas páginas questões de relevância nacional, Ana Inoue, Superintendente do Itaú Educação e Trabalho, traz um panorama do atual modelo de Educação Profissional e Tecnológica no País e chama atenção para as oportunidades que se abrem com a integração da EPT à educação básica, por meio do Novo Ensino Médio.

Inoue, que é psicóloga pela PUC-SP, destaca a importância de o País repensar por completo as perspectivas de formação do jovem já a partir do ensino médio e o avanço em curso em função do modelo proposto pela Lei 13.415 de 2017, que integra a Educação Profissional e Tecnológica (EPT) à educação básica, provendo a articulação da formação geral com a formação para o mundo do trabalho.

No entanto, para que as possibilidades de mudança se transformem em oportunidades reais para o País, Ana Inoue ressalta que essa expansão da oferta de EPT precisa vir acompanhada rigorosamente de alta qualidade e conectada às aspirações da juventude, às demandas do setor produtivo brasileiro, ao plano de desenvolvimento econômico nacional e as transformações do mundo do trabalho.

A especialista ressalta, ainda, um ponto que avalia ser crucial: a necessidade de uma mudança profunda no conceito sobre EPT, que, por muito tempo, era vista como uma formação alternativa à universidade, com menos prestígio por oferecer menos chances de desenvolvimento e crescimento profissionais.

“Considerando os impactos que tecnologia, globalização, sustentabilidade, demografia e legislação trabalhista, entre outros, terão sobre a organização do trabalho, temos um mundo em constante transformação e a necessidade de pessoas que consigam se adaptar e se dispor a uma aprendizagem contínua. Portanto, precisaremos reorganizar os caminhos de formação profissional dos jovens. A escola, a educação profissional e a universidade devem estar articuladas de forma a favorecer a formação e a mobilidade neste futuro próximo. Isso determina que a escola seja ágil e criativa, um espaço de diálogo com os interesses dos jovens e o que se anuncia para o mundo do trabalho”, destaca Ana Inoue.

Leia a entrevista da Superintendente do Itaú Educação e Trabalho na íntegra

Termos de uso e política de privacidade