Notícias

28 de JUNHO DE 2021

Depois de trazer modelos europeus, a série EPT no mundo chega hoje ao México

O ensino médio técnico mexicano é dual: integra aprendizado em sala de aula e formação adquirida por meio de experiência de trabalho na empresa formadora

No México, o sistema educacional é obrigatório dos 6 aos 17 anos. O país oferece ensino médio técnico, bem como centros técnicos de formação para o trabalho, e um modelo dual, que integra aprendizagem em sala de aula à experiência profissional.

Na terra dos Astecas, o Ensino Técnico Profissional forma pessoas para diversos tipos de atividades, sejam industriais, agrícolas, comerciais ou de serviços. Todos os estudantes que passam no treinamento recebem certificado de ensino médio, concebido como preparação para o acesso direto ao mercado de trabalho, possibilitando também que o aluno avance para o programa de formação profissional superior - equivalente ao bacharelado.

A organização e regulação é responsabilidade do Ministério da Educação. No entanto, o setor econômico exerce grande responsabilidade no desenvolvimento e na melhoria contínua da educação técnica vigente.

De forma geral, as características de oferta são determinadas pelos subsistemas de educação e pelas escolas que oferecem os cursos. A regulação estatal tem maior foco sobre as competências de cada certificação e menos sobre a forma dos cursos.

Uma curiosidade é que a construção dos currículos ocorre de acordo com as necessidades apresentadas em cada setor produtivo, mas com a responsabilidade de cumprir os requisitos do Marco Curricular Comum e os padrões de competência registrados no Registro Nacional de Padrões de Competência.

O CONOCER é o órgão responsável por estabelecer o conjunto de competências esperadas para cada formação técnica, e foi criado com base no modelo australiano, diferenciando-se apenas na organização.
Já em termos de avaliação da EPT, no sistema mexicano os critérios são definidos em conjunto com o setor produtivo, que também pode atuar como certificador.

O levantamento conclui que as avaliações dos estudantes de EPT podem ser consideradas descentralizadas: cada escola possui e promove o seu tipo de avaliação, seguindo diretrizes nacionais. O órgão central valida a estratégia proposta e promove auditoria do processo.

Quer saber mais sobre a realidade da Educação Profissional e Tecnológica no México? Acesse a pesquisa desenvolvida pelo Itaú Educação e Trabalho

O vídeo com detalhes técnicos sobre a EPT no México está também no nosso no LinkedIn.

A série ‘EPT no mundo’ apresentará, na próxima semana, a realidade da Educação Profissional e Tecnológica em Singapura. Não perca!

Termos de uso e política de privacidade