Notícias

21 de JUNHO DE 2021

EPT no mundo: França é o nosso destino hoje!

Governo francês implementou ampla reforma educacional em 2020 para tornar a formação obrigatória até aos 18 anos, integrando mais facilmente o estudante à realidade do mundo trabalho

Na França, o sistema educacional é obrigatório dos 6 aos 16 anos, sendo dividido em Educação Primária, Ensino Secundário e Ensino Superior. Qualquer estudante que, no final da escolaridade obrigatória, não tenha atingido um nível de formação sancionado por um diploma nacional ou título profissional registrado e classificado no nível 3 do Diretório Nacional de Certificações Profissionais, deve continuar os estudos para adquiri-lo.

Uma curiosidade é que, naquele país, cerca de 80.000 jovens abandonam o sistema escolar anualmente, sem qualquer qualificação. Além disso, o país atualmente tem cerca de 60.000 jovens menores de idade que não trabalham, não estão em formação e/ou não estudam. Para enfrentar este desafio, o governo implementou uma reforma educacional em 2020, que torna a formação obrigatória até aos 18 anos.

Na prática, todos os jovens com idade entre 16 e 18 anos devem estar matriculados e frequentando um curso de formação ou estágio ou estar empregados. O objetivo da reforma, nomeada “L’école de la Confiance”, é permitir que todos tenham uma base de competências suficiente para que possam se integrar mais facilmente ao mercado de trabalho.
     
No sistema educacional francês, há duas opções de Ensino Médio: Geral e/ou Tecnológico (lycée général et technologique), cuja proposta final consiste em conduzir o estudante para a universidade, e Profissional (lycée professionnel), voltado a preparação do aluno para o mundo do trabalho, sem inviabilizar o seu ingresso no ensino superior.

Ao longo de todo o processo de ensino, as equipes pedagógicas fazem um acompanhamento individual com os estudantes para verificar, entre outros pontos, se as formações escolhidas são condizentes com seus perfis. Caso não haja compatibilidade, o jovem pode ser encaminhado para outra área, mais voltada ao seu real projeto de vida.

O setor produtivo também exerce influência na oferta e construção dos cursos EPT. Diplomas e títulos podem ser alterados ou revogados após o parecer de Comitês Consultivos Profissionais (CPC), que têm como objetivo tornar as certificações profissionais coerentes com as necessidades ou demandas do setor produtivo.

Algumas empresas chegam a contribuir com o andamento dos cursos, oferecendo aos alunos visitas técnicas ou dias de imersão, aulas práticas e até mesmo estágio.

O sistema educacional da França tende a ser convergente, isto é, opta por aproveitar os créditos e validar a experiência profissional tanto de forma total, para se ter uma qualificação formal do conhecimento, quanto de forma parcial, para que se dê prosseguimento na educação, em menor tempo.

Quer saber sobre a realidade da Educação Profissional e Tecnológica na França? Acesse a pesquisa desenvolvida pelo Itaú Educação e Trabalho.

O vídeo com o resumo da experiência francesa também está no nosso no LinkedIn.

A série ‘EPT no mundo’ apresentará, na semana que vem, a realidade da Educação Profissional e Tecnológica no México. Não perca!

Termos de uso e política de privacidade