Notícias

26 de ABRIL DE 2021

Aula inaugural dá boas-vindas aos cursistas da formação em Articulação Curricular e Projetos Empreendedores, lançada em Pernambuco

Com foco nas mudanças do Novo Ensino Médio e no aperfeiçoamento da formação profissional e tecnológica, curso tem apoio técnico do Itaú Educação e Trabalho

No dia 22/4, foi realizada a aula inaugural da formação em Articulação Curricular e Projetos Empreendedores, em formato à distância, lançada no dia 13/04 pela Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco, com apoio técnico do Itaú Educação e Trabalho. Voltado aos profissionais da educação profissional e técnica das escolas estaduais de Pernambuco, o curso visa a reformulação dos novos currículos do ensino médio das escolas com foco na atualização dos planos de cursos no próximo biênio.

A transmissão foi marcada pela recepção aos cursistas matriculados, seguida de um panorama da Educação Profissional e Tecnológica e do detalhamento dos quatro módulos do curso. O lançamento da modalidade EAD é resultado de um processo de várias etapas, com o fechamento do tutorial no final de 2020. A duração da formação é de 13 semanas.

Segundo Maria Medeiros, Secretária Executiva de Educação Integral e Profissional na Secretaria Estadual de Educação e Esportes de Pernambuco, a aula inaugural foi o ponta pé inicial da formação, que terá duração de 19/04 a 30/06. Já a segunda etapa vai ocorrer entre agosto e dezembro, e, ao final do curso, a meta é revisitar os planos à luz do aprendizado de todos os participantes, respeitando as peculiaridades de cada uma das escolas da rede.

A proposta é deixar um legado que dialogue com os cursos, que propicie uma formação mais aderente à demanda do mundo do trabalho e leve o correto entendimento do conceito de juventude. “Ana Inoue sabe bem o quanto é complexo pensar em cursos técnicos que atendam às demandas das juventudes, o que chancela a importância de estreitarmos laços e trazermos parceiros estratégicos como o Itaú Educação e Trabalho”, explica Maria Medeiros.

“Esse ano completamos 12 anos da política pública de educação profissional na pasta da Secretaria de Educação e Esportes, e não poderíamos celebrar de outra forma, que não aproximando o Itaú Educação e Trabalho do nosso time da Secretaria Executiva de Educação Integral e Profissional, para que possamos preparar os times das escolas para esse grande movimento já atualizando os cursos técnicos da rede com a pitadinha de inovação proporcionada pelo Novo Ensino Médio”, comemora.

“Somos fãs do trabalho que vocês desenvolvem em Pernambuco, uma parceria iniciada em 2015 pelo Itaú BBA, quando a gente fez o curso de formação dos gestores das Secretarias de Educação de Ensino Médio e Técnico no Insper, e Pernambuco foi um dos estados que mais participou ativamente”, destaca Ana Inoue, Superintendente do Itaú Educação e Trabalho.

Cenário nacional
Inoue apresentou um panorama desafiador. Segundo ela, o Brasil não tem uma política pública voltada para a juventude e a realidade é cruel, sobretudo quando se olha para o seguinte aspecto: somando todas as vagas das universidades brasileiras, sejam elas públicas ou privadas, só há vaga disponível para 20% dos jovens brasileiros. Ou seja, uma minoria. 80% dos jovens do ensino médio não vão para o ensino superior pela absoluta falta de oportunidade e vaga. Os jovens também não têm a formação adequada e o currículo atual não trata do trabalho, embora esteja na Constituição Federal que é responsabilidade da educação básica formar os jovens para o mundo do trabalho.

“Esses 80% são aproximadamente 15 milhões de jovens que vão para o mundo do trabalho sem nenhum preparo. E a preocupação se amplia quando constatamos que boa parte deles tem uma experiência de trabalho precária”, reforça. A taxa de desocupação nessa faixa etária no País só confirma essa realidade. “Enquanto a média de desemprego da população do país é de 14, 6%, a dos jovens é mais que o dobro”, lembra Ana Inoue.

Outro dado preocupante. A educação profissional no Brasil tem 11% das matriculas no ensino médio, enquanto nos países da OCDE esse índice é de 42%. Então, o que fazer para que os jovens brasileiros possam ter uma inserção digna no pós-médio?

“Esse é o nosso propósito, e, por isso, é importante olharmos para a formação voltada ao mundo do trabalho não como algo alienante. O que estamos fazendo em parceria com a Secretaria de Educação de Pernambuco é exatamente o contrário, ou seja, a construção de uma formação para o mundo do trabalho articulada com a formação geral".

Saiba mais sobre a aula inaugural

Na próxima semana, traremos detalhes do curso e dos quatro módulos da formação em Articulação Curricular e Projetos Empreendedores. Não perca!

Termos de uso e política de privacidade